Museu das Coisas Banais

Olá, seja bem vindo ao Museu das Coisas Banais!


O que os objetos, estes companheiros silenciosos, nos dizem? O que eles podem dizer sobre nós mesmos? Os objetos que guardamos, como uma porta de acesso a nossas lembranças, podem ser banais? Afinal, o que é banal? Banal é aquilo que não tem valor? Uma coisa pode ser banal e ao mesmo tempo não ser, dependendo da relação que se estabelece entre o sujeito e objeto? Que valor atribuímos às coisas?

Vivemos cercados por objetos, mas pouco refletimos sobre eles.

Apesar de se chamar “Museu das Coisas Banais” este museu virtual tem o objetivo de promover uma reflexão em torno da memória agregada aos objetos cotidianos que, apesar de muitas vezes considerados banais, estabelecem uma relação afetiva ao longo do tempo e da vida com seus pertencentes. Por isso, o Museu das Coisas Banais denomina os componentes de seu acervo como “Objetos Biográficos”, objetos que são guardados por seus donos ao longo da vida e que, de certa maneira, contam suas histórias, narram suas biografias.

Uma velha moldura de óculos, um par de brincos, um urso de pelúcia, um cofrinho, uma boneca, um vestido de noiva, uma caixinha de madeira, entre tantos outros objetos de uso corriqueiro que não apresentam um valor econômico significativo poderiam ser considerados banais e até mesmo descartáveis, não fosse o valor afetivo a eles atribuído pelas recordações que podem evocar. São objetos banais que extrapolam o valor de mercado ou de utilidade e se inscrevem na categoria do afetivo, do memorável, do familiar e, portanto, passam a incorporar um conjunto de bens preserváveis pelo seu aspecto simbólico. Muito além das banalidades, o Museu das Coisas Banais é dedicado às memórias afetivas.

Portanto, o Museu das Coisas Banais visa preservar no mundo virtual todo e qualquer objeto banal portador de valor afetivo, pertencente a toda e qualquer pessoa, como portadores de memória e formadores de identidade, para isso, busca inventariá-los, preservar suas informações e compartilhá-los no mundo virtual.

Visite o acervo do Museu das Coisas Banais e compartilhe o seu objeto biográfico.